Caçadas Alecrim da Fórnea

Um espaço de imagens de momentos de caça, textos de opinião, histórias, espécies cinegéticas, legislação, armas e munições de caça, cães e culinária, resultantes de experiências e vivências pessoais, que aqui são relatadas para partilhar e mais tarde recordar.

Direitos de Autor

As imagens constantes neste blog são na sua maioria da autoria do administrador do mesmo, sendo por esse motivo proibida a sua cópia, reprodução e utilização sem autorização do mesmo.
As imagens que o não forem contêm a origem das mesmas.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Alectoris Rufa - Momentos 2018

Porto de Mós, 05/11/2018
Um resumo da temporada de caça à Perdiz Vermelha, desde o calor sufocante dos primeiros dias de Outubro, que não davam descanso e não permitiam uma jornada "normal" às perdizes, até ao principio de Novembro, com temperaturas mais amenas e alguma chuva.
Terminada este época às verdadeiras perdizes, ficam as memórias de cada lance que mais que uma foto, gravaram também os cheiros, sentimentos e o cansaço gratificante da caça à alectoris rufa.









quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Caça à raposa e a desinformação objectiva.

Debate-se actuamente no parlamento a proibição da caça à raposa e saca-rabos, por proposta do partido do político PAN, onde em letras gordas foi publicitado que "As raposas podem ser caçadas em Portugal entre outubro e janeiro, inclusivamente à paulada e com matilhas até 50 cães, uma prática que três partidos querem abolir com projetos de lei."
Independentemente de gostarmos ou não da actividade cinegética, importa esclarecer certos factos com vista a que a informação seja a correcta e não deturpada com vista a encaminhar a opinião pública numa determinada direcção.
A caça à raposa em Portugal faz-se principalmente pelo método de batida, que contrariamente ao que possa parecer, não tem nada a ver com o andar a bater na raposa com um pau. Caça-se utilizando a arma de fogo, a caçadeira.
A definição de “batida” está descrita no artigo 90º do DL 202/2004 de 18 de AGO.
Artigo 90.º
Processos de caça
1 - A caça pode ser exercida pelos seguintes processos:
(…)
c) De batida - aquele em que o caçador aguarda, para capturar, as espécies cinegéticas que lhe são levantadas por batedores, com ou sem cães de caça, no caso de caça menor, e sem cães, no caso de caça maior;
Ou seja , os caçadores (este tipo de caça é uma caça de grupo) são colocados em determinadas posições, com arma de fogo, aguardando que eventualmente alguma espécie cinegética passe ao alcance de tiro, não sendo permitido o uso de cães!
Quanto à utilização de “até 50 cães”, trata-se de um método de caça denominado de corricão, que também se encontra definido no artigo 90 do DL 202/2004:
(…)
e) A corricão - aquele em que o caçador se desloca a pé ou a cavalo para capturar espécies cinegéticas apenas com o auxílio de cães de caça, conduzidos pelo próprio ou por auxiliar, e com ou sem pau;
(…)
Este método de caça, a corricão, simplesmente tem pouca ou nenhuma expressão no nosso país.
Em resumo, a caça à raposa, faz parte do calendário venatório, permitida nos meses de Outubro a Fevereiro e claramente definida em que circunstância a mesma pode ser exercida, assim como se se justifica ou não a sua caça em determinados locais, uma vez que compete às entidades gestoras da zona de caça definirem ou não a sua necessidade, conforme o artº 94 do DL 202/2004:
Artigo 94.º
Caça à raposa e ao saca-rabos
1 - A caça à raposa e ao saca-rabos pode ser exercida de salto, à espera e de batida, podendo ainda a raposa ser caçada a corricão e, em terrenos ordenados, no decurso de montarias.
2 - É permitida a utilização de chamariz na caça à raposa.
3 - A caça à raposa e ao saca-rabos pode ser permitida nos meses de Outubro a Fevereiro, inclusive, sem prejuízo do disposto no número seguinte.
4 - Em terrenos cinegéticos não ordenados:
a) A caça de salto só pode ser permitida nos meses de Outubro a Dezembro, inclusive;
b) A caça de batida e a corricão só pode ser permitida nos meses de Janeiro e Fevereiro e apenas nos locais e nas condições estabelecidos em edital da DGRF.
Gostarmos ou não de uma actividade, assim como concordar ou não com essa mesma actividade, será sempre algo pessoal, no entando não podemos é quer controlar o que os outros podem ou não fazer com base nos nossos gostos ou ideologias, muitas vezes adulterados pela desinformação ou simplesmente pelo desconhecimento.

João Carlos Pereira

sábado, 7 de abril de 2018

segunda-feira, 19 de março de 2018

Continuando com os vizinhos!

Ainda por aí andam...
Porto de Mós, Março de 2018


A minha vizinha

Como penso que há espaço para todos e que cada coisa no seu tempo, por isso existe o calendário venatório!
Porto de Mós, Fevereiro de 2018



domingo, 5 de novembro de 2017

Terminus da época 2017/2018 às Alectoris Rufa

No último dia às alectoris rufa na minha associativa, resolvi dar descanso ao perdigueiro e "convocar" a nova aquisição para matos mais fechados. Situação que se está a generalizar por toda associativa e a continuar assim, os perdigueiros deixarão de ter terreno para caçar, pelo menos na sua forma clássica de caçar, pois furar mato não é com eles!
E na estreia da "rapariga", esta não ficou nada mal, vamos ver a continuação...






sábado, 4 de novembro de 2017

"Caçadas Alecrim da Fôrnea" é um blog iniciado em 04 de Novembro de 2009, com o intuito de mostrar a actividade cinegética através das minhas vivências pessoais, sem pudor de dar a conhecer a mais antiga forma de sobrevivência. É apenas mais um contributo a Santo Huberto e a todos aqueles que de forma responsável e ética desfrutam de momentos únicos no campo.
A caça não é um desporto, é um arte!
João Carlos Pereira



quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O primeiro par alectoris rufa de 2017

Alvados, 15/10/2017
Mais um dia suado com temperaturas a quererem ultrapassar os 30 ainda antes do meio-dia!
Pouco mais a dizer, com alguma sorte e persistência, um par de perdizes veio a ser pendurado no cinturão.


sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Primeiro dias às Alectoris Rufa em 2017

Alcaria, 08/10/2017
Calor, muito calor e com vento de suão, o resultado é...grade!
O meu primeiro dia às perdizes foi isso, libertar os poros, cansar as pernas, ver a paisagem e "vê-las" ao longe, muito longe...
No entanto, no final, o cansaço desaparece e estamos prontos para a próxima...


quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Primeiro dia aos coelhos 2017/2018

Muito, muito calor, foi um dia quentissimo para a estreia da nova aquisição coelheira para a época 2017/2018 e seguintes...


terça-feira, 26 de setembro de 2017

Momento...alectoris rufa

Aquele momento por que esperamos!
O arranque rápido e inesperado de um bando de perdizes...conseguir "engana-las" não é para todos!

O retrato de três de oito.